Geoklock. Nova sede.

A Geoklock mudou.

Desde 08/10, estamos ocupando o 16ª andar do Edifício WT Morumbi.

O novo espaço foi adquirido pela EBP, grupo suíço com presença internacional do qual a Geoklock faz parte.

Este investimento é uma demonstração de confiança no potencial do mercado brasileiro e na competência da Geoklock.

A arquitetura aberta das novas instalações foi planejada para tornar nosso trabalho mais dinâmico e produtivo, além de promover uma maior interação com estreita convivência entre as nossas diferentes áreas.

Geoklock participa do Ecotox 2018

A Geoklock – Consultoria e Engenharia Ambiental – que atua no Brasil há quase 40 anos, participou do XV Congresso Brasileiro de Ecotoxicologia (Ecotox 2018). O evento foi realizado entre os dias 1º e 4 de setembro na cidade de Aracaju. “Trata-se de um fórum dos mais importantes para nossa área, com palestras importantes e de relevância internacional”, comenta Filipe Biaggioni Gimenes, engenheiro ambiental da Geoklock.

O evento reuniu especialistas nacionais e internacionais para a discussão de diversos temas da área de ecotoxicologia, como tecnologias limpas, técnicas de biorremediação, métodos para avaliação de risco ecológico, entre outros. O Ecotox é um fórum para o desenvolvimento técnico-científico e disseminação do
conhecimento para setores relevantes da sociedade.

A Geoklock apresentou dois trabalhos: “Estudo de Caso: Avaliação de Risco Ecológico em Área Contaminada por Pesticidas, Compostos Orgânicos e Metais” e “Avaliação da Bioacumulação de Mercúrio Total e Orgânico em Oligoquetas por meio de Ensaio de Toxicidade em Solo”.

Um dos objetivos do evento era possibilitar uma maior integração entre os pesquisadores envolvidos nessa área de conhecimento. Os temas centrais proporcionarão aos congressistas o acesso às metodologias e técnicas atuais para a ampliação de seus conhecimentos.

Um compromisso de 39 anos com o meio ambiente

Há 39 anos nascia a Geoklock e o nosso compromisso com o meio ambiente. Nesse tempo crescemos muito: adquirimos equipamentos e construímos uma infraestrutura de última geração que hoje faz da Geoklock uma referência no mercado.

Mais do que isso, adquirimos o conhecimento e know-how que formam nosso corpo técnico altamente qualificado. Temos muito orgulho do trabalho feito e esperamos crescer cada vez mais, fazendo o que a gente sabe fazer melhor.

Avaliação de risco ecológico

Com a publicação da decisão de diretoria DD nº 038/2017 da CETESB, a Avaliação de Risco Ecológico tornou-se parte integrante da Análise de Risco nas situações em que exista ecossistema natural sob influência de uma área contaminada. Frente a este potencial para novas demandas, a GEOKLOCK tem atuado na área e se capacitado sobre o tema.

Neste sentido, a GEOKLOCK participa ativamente do Grupo Técnico da ABNT para elaboração da norma sobre Avaliação de Risco Ecológico. Recentemente, também participou dos eventos internacionais ISTA-18 e 12º SETAC (América Latina), onde o assunto foi discutido entre membros da academia, órgãos reguladores, consultorias e indústrias.

O ISTA-18 – International Symposium on Toxicity Assessment – foi realizado entre os dias 16 e 21 de julho de 2017 na cidade de Limeira/SP. A GEOKLOCK foi representada pelos colaboradores Andréia Yoshinari, André Canale e Filipe Biaggioni, com a apresentação do pôster “Case Study: Application of the TIE (Toxicity Identification Evaluations) Methodology in the Environmental Diagnosis of Groundwater Contaminated by Pesticides”.

O 12º SETAC – evento promovido pela “Society of Environmental Toxicology and Chemistry” – foi realizado entre os dias 04 e 10 de setembro de 2017 na cidade de Santos/SP.

Destaca-se a participação técnica da GEOKLOCK pela apresentação do trabalho “Aplicação do Método de Avaliação de Risco Ecológico da EPA em Área Contaminada por Pesticidas, Compostos Orgânicos e Metais – Estudo de Caso”.

Métodos e Técnicas na Reabilitação de Áreas Contaminadas

A Geoklock, empresa de consultoria e engenharia ambiental, com quase 40 anos de Brasil e que pertence ao grupo suíço EBP, participou do workshop Métodos e Técnicas de Identificação e Reabilitação de Áreas Contaminadas, promovido pela Beacon Environmental Services, Vapor Pin, Envirologek e organizado pelo Grupo de Pesquisas em Águas Subterrâneas da Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS). O evento, realizado no 25 de junho último, no Instituto de Pesquisas Hidráulicas, foi focado em apresentar as melhores práticas para identificação e reabilitação de áreas contaminadas.

As apresentações tiveram ênfase nos desafios relacionados à intrusão de vapores, gerenciamento de áreas contaminadas e remediação. Foram apresentados métodos refinados e tecnologias avançadas que permitem subsidiar uma melhor tomada de decisão. Entre os temas abordados nas palestras, destacaram-se: Técnicas avançadas na identificação de áreas contaminadas; Uso de programas que contribuam no dimensionamento dos trabalhos, visando a identificação de passivos ambientais; Elaboração de modelos hidrogeológicos conceituais em áreas contaminadas; Amostragem passiva de vapores etc.

O engenheiro ambiental da Geoklock, Rafael Franklin, apresentou a palestra “Aplicação de Linhas de Evidência Para Identificação de Múltiplas Fontes de Organoclorados”, na qual foi demonstrado que a aplicação de métodos refinados de investigação permitiram o levantamento de evidências que confirmaram a existência de fontes externas e possibilitou uma revisão do modelo conceitual inicial, proporcionando um redirecionamento positivo ao caso, trazendo um grande benefício ao cliente.

Na plateia, consultores, órgãos públicos, profissionais de empresas privadas e representantes ligados à universidade se mostraram bastante interessados pelo tema. De acordo com Franklin, havia em torno de 60 especialistas, todos de altíssimo nível, que demonstraram grande interesse no tema.

Geoklock na lista Brazil 10 mil pela Cial Dun & Bradstreet

A Geoklock, com quase 40 anos de fundação, foi informada pela Cial Dun & Bradstreet, que a empresa segue fazendo parte da base de dados Brazil 10 Mil, das Dez Mil Empresas mais ativas comercialmente no Brasil.

A rede mundial Dun & Bradstreet é uma organização global que monitora bancos de dados empresariais em todo o mundo há mais de 150 anos. Eles possuem informações sobre mais de 250 milhões de empresas no planeta e são líderes na América Latina.

A partir do cruzamento de dados cadastrais, a Dun & Bradstreet executa o cruzamento de informações no sentido de possibilitar que as empresas encontrem parceiros confiáveis e se tornem cada vez mais lucrativas e competitivas (vide o certificado da Geoklock na barra lateral).

É muito importante ser reconhecida dentro desse perfil, de confiabilidade e qualidade, como empresa que atua dentro dos melhores padrões técnicos e administrativos. Isso certamente facilita muito os negócios da nossa empresa e amplia nosso compromisso na manutenção dos níveis de excelência.

Integração de sistemas e gestão de dados

CETREL, uma empresa de Soluções Ambientais no Setor Industrial com mais de 30 anos de mercado. Contempla em seu portfólio o desenvolvimento de projetos com foco em inovação e sustentabilidade, serviços de gerenciamento de resíduos sólidos, tratamento de efluentes e monitoramento da qualidade da água.

Responsável pela operação dos sistemas de proteção ambiental do maior complexo industrial integrado da América Latina localizado em Camaçari (BA) e toda a sua área de influência, realiza o gerenciamento de mais de 20 anos de atividades. Com esta demanda, a organização define ações de diagnóstico e remediação de áreas contaminadas integradas a uma série de estratégias para a gestão sustentável dos recursos hídricos.

A consolidação desta postura proativa permite o aprimoramento contínuo de seu desempenho operacional e empresarial, incluindo investimentos em soluções tecnológicas. As possibilidades de integração com sistemas internos e customização de softwares eficientes e reconhecidos no mercado ambiental, apresentaram-se como fatores tecnológicos decisivos diante da busca de uma solução inovadora para o gerenciamento de dados ambientais.

Desafios

  • Integrar as novas ferramentas com os sistemas internos (ArcView™  ESRI™, LIMS Laboratorial e sistemas financeiros), proporcionando um fluxo de trabalho planejado e com redução de falhas para os diferentes setores envolvidos;
  • Armazenar e gerir grandes quantidades de dados ambientais (mais de dois mil poços de monitoramento e cerca de dois milhões de resultados analíticos) em um ambiente seguro, confiável e de rápido processamento aumentando o controle da qualidade de dados;
  • Assegurar a coleta de dados eficiente de dez técnicos de campo gerando dados simultaneamente em tecnologia GIS;
  • Aumentar a produtividade na execução de atividades rotineiras, como a redução do tempo de coleta e análise de dados;
  • Melhorar o relacionamento com o cliente, refletindo em uma maior rapidez e qualidade na entrega de análises de dados;
  • Estabelecer diretrizes de qualidade e criar fluxos de trabalho sem desvios,permitindo a tomada de decisões com maior credibilidade.

Soluções

  • Trabalhou em parceria com a GEOKLOCK para criar a integração dos sistemas com o EQuIS™, criando um fluxo de trabalho completo com o planejamento de amostragem, a execução do trabalho de campo, associação com resultados analíticos e fechamento financeiro
  • Implementou a ferramenta de planejamento SPM para a elaboração do Plano de Gerenciamento de Recursos Hídricos direcionado principalmente às demandas do Polo Industrial de Camaçari.
  • Implementou o EDGE em equipamentos eletrônicos portáteis para substituir os boletins de campo em papel na realização de trabalhos de campo (na primeira semana, redução de 30% do tempo de coleta de dados de campo e inserção dos mesmos no banco de dados).
  • Padronizou cadeias de custódias, possibilitou conduzir padrões para os mais diversos tipos de dados e aumentou o nível de organização interna.
  • Proporcionou uma maior motivação dos funcionários e de satisfação dos clientes, tornando mais funcional e rápida a elaboração e entregas de relatórios consistentes e confiáveis.

 

Geoklock participa de evento sobre descontaminação do solo na China

A China tem visto, nos últimos tempos, a qualidade do solo deteriorar-se em uma vasta região, o que afetou a saúde humana, a segurança dos produtos agrícolas e o meio ambiente. Agora, por isso, a China pretende tornar 90% da terra arável contaminada do país segura até 2020, com um aumento de 95% até 2030. De acordo com os últimos dados do Ministério da Proteção Ambiental e do Ministério de Terras e Recursos, cerca de 16,1% das terras pesquisadas na China estão poluídas por metais pesados ​​como cádmio, arsênio, chumbo e mercúrio. Por esse motivo, o governo chinês está fazendo investimentos e ouvindo especialistas de todo o mundo no sentido de resolver esses problemas.

Norbert Brandsch, diretor de Desenvolvimento de Clientes da empresa suíço-brasileira Geoklock Consultoria e Engenharia Ambiental, está neste momento na China, na capital Pequim, onde realizou palestra sobre o tema nos dias 8 e 9 de junho. “O objetivo desse evento é buscar alternativas para a correção do solo de maneira a torna-lo, de novo, próprio para a agricultura e outros usos. Iremos falar e demonstrar as possibilidades que existem em torno da investigação de passivos ambientais a partir de equipamentos de alta resolução”, disse Brandsch.

Na sua avaliação, há hoje equipamentos como os que a Geoklock utiliza, de última geração em termos de tecnologia, para diagnóstico de contaminações de solo e que permitem chegar a uma solução de forma muito rápida e precisa. A Geoklock é uma empresa que possui um nome muito forte no mercado brasileiro e internacional e seu trabalho, ao longo de quase 40 anos, é reconhecido no meio em que a empresa atua.

A partir de cases, Brandsch pretende mostrar que a aplicação desses equipamentos pode se dar em várias situações, como preparativo para a fase de remediação, após ou durante o processo de remediação de contaminações de solo. “Cada dólar não investido nesse sentido resulta depois em vários dólares de gastos na remediação”, exemplifica.

Na China, conta Brandsch, a poluição do solo é grave em três grandes regiões industriais – a antiga área industrial no nordeste da China, o Delta do Rio Yangtze e o Delta do Rio das Pérolas – e algumas regiões da China sofreram deterioração da qualidade do solo devido à exposição ao desenvolvimento industrial e às emissões tóxicas. Além disso, 19,4% das terras cultiváveis ​​pesquisadas tinham níveis de poluição mais altos do que o padrão nacional, de acordo com o ministro da Proteção Ambiental, Chen Jining. Isso significa que cerca de 3,33 milhões de hectares de terra arável não são adequados para o cultivo. No ano passado, o governo central alocou 2,8 bilhões de ienes (US$ 430 milhões) para projetos antipoluição em 30 cidades.

O governo está implantando o Plano de Ação de Poluição do Solo, após o Plano de Ação para Prevenção e Controle da Poluição do Solo, divulgado pelo Conselho de Estado da China em 31 de maio de 2016. Ele traz enormes exigências. Em junho de 2017, o governo chinês iniciou o processo de redação da Lei de Prevenção da Poluição do Solo, a segunda consulta pública foi feita até o final de janeiro de 2018. O regulamento e as leis devem ser divulgados até o final de 2018. Este é um grande passo para a remediação do solo na China, o que significa um mercado mais regulamentado e mais oportunidades de negócios devido a razões de conformidade. Certamente, a EBP – controladora da Geoklock – dará um passo adiante nesse enorme mercado potencial na China.

Imagem: Pequim, by 郭友柏 [CC BY-SA 4.0 ], from Wikimedia Commons

Geoklock fez palestra na Câmara Alemã de Comércio e Indústria

Norbert Brandsch, Diretor de Desenvolvimento de Clientes, fez no dia 20 de abril a palestra “Redução dos Prazos e Custos na Investigação Ambiental”, na Câmara de Comércio e Indústria Brasil Alemanha, como parte das programações do Comitê de Meio Ambiente da entidade. “Foi um evento muito interessante, no qual demonstramos as possibilidades em torno da investigação de passivos a partir de equipamentos de alta resolução”, disse Brandsch. Segundo ele, essa é a última geração em termos de tecnologia para diagnóstico de contaminações de solo e permite chegar-se a uma solução de forma muito mais rápida. “Ganha-se em tempo e de forma muito mais precisa”.

Na plateia, cerca de 60 consultores e representantes de empresas ligadas à Câmara Alemã interessadas nesse tema, tanto porque muitas têm atividade industrial intensa. “Cumprimos nosso objetivo, que era mostrar nossa experiência nessa área. A Geoklock é uma empresa que possui um nome muito forte no mercado e seu trabalho, ao longo de quase 40 anos de atividade, é bastante reconhecido no meio empresarial”, destacou Norbert Brandsch.

A palestra feita por ele mostrou que a aplicação pode se dar em várias situações, como preparativo para a fase de remediação, após ou durante o processo de remediação com pouco sucesso ou até de forma preventiva para empresas que pretendam adquirir uma área na qual já houve operações com manipulação de produtos poluentes. Na maioria dos casos, disse ele, é preciso antes se fazer um diagnóstico e a remediação, para que não haja problemas no futuro, depois de feitas obras e outros benefícios na propriedade. “Cada dólar não investido nesse sentido resulta depois em 3 dólares de gastos na remediação”, exemplifica.

Levando em conta as grandes áreas urbanas, Brandsch diz que muito improvável que nelas não se tenha instalado no passado algum tipo de indústria. “Por isso antes de assinar uma compra, é sempre importante ter uma avaliação ambiental confiável. No caso, a partir da utilização de equipamentos de alta resolução, como o que temos, é possível fazer uma operação desse porte com muito maior segurança”.

Ele explicou que o custo de utilização dessas tecnologias, num primeiro momento, pode parecer alto, mas ao final, com os resultados, fica demonstrado para o cliente que ele está fazendo um excelente negócio, pois ganha em rapidez e eficiência em relação ao diagnóstico tradicional. E com isso uma base de dados para tomar uma decisão mais assertiva e confiável.
“Temos muita expertise, equipes treinadas. Isso tudo demonstro nas nossas apresentações, que aliás estão sendo intensificadas neste ano. Queremos ampliar ainda mais a presença da Geoklock no mercado e desfrutar de todo o respeito e reputação que a empresa possui. Queremos oferecer ao cliente soluções customizadas com valor agregado”.