Geoklock visita a Open House 2018



Evento é realizado pela Geoprobe, uma das gigantes dos EUA na área de equipamentos

Estar na Geoprobe, na cidade de Salina, Estado do Kansas (USA), um dos maiores fornecedores do mundo no campo das máquinas e equipamentos de sondagem e investigação, é para bem poucos. A dupla da Geoklock Ulysses Mourão, gerente de engenharia, e Aldoíno Moraes, coordenador de geotecnia, esteve na matriz da Geoprobe por uma semana. Participaram do evento Open House 2018, que acontece a cada dois anos e é voltado apenas a clientes.

Havia, segundo eles, cerca de 300 técnicos de várias partes do mundo. “Eles se preocupam com a experiência e feedback dos clientes, além de todos os detalhes técnicos e operacionais, no desenvolvimento de novos equipamentos. Durante a feira, apresentaram diversos equipamentos, desde os mais simples e versáteis já consolidados no mercado até os de alta tecnologia, que estão sendo usados no mercado americano nas áreas ambiental e geotécnica”, disse Mourão.

A nova sonda DT 7822 e o MIP, ferramenta que a Geoklock já utiliza e é considerada “o estado da arte” em termos de investigação ambiental de alta resolução, foram um dos destaques do evento. A Geoklock acaba de adquirir uma nova sonda e um segundo MIP, firmando sua posição de vanguarda em busca de novas tecnologias.

A Open House é uma grande feira para apresentar novos produtos de sondagem e investigação, além de tendências tecnológicas nos mercados ambiental e geotécnico.

Segundo Aldoíno Moraes, tudo acontece no campo, numa espécie de área de testes, na qual são feitas as demonstrações, passo a passo, com abertura para perguntas e comentários. “Foi uma oportunidade rara para nos atualizarmos. Constatamos que a Geoklock está na mesma página em termos de equipamentos e técnicas de execução de sondagens”.

Ulysses Mourão destacou também que todos os conhecimentos que receberam, aos poucos, serão repassados para as equipes no Brasil por meio de programas específicos de treinamento. “Tivemos a oportunidade de estar com as equipes de engenharia da Geoprobe. Desta forma, além das informações que nos passaram, pudemos tirar dúvidas técnicas e colocar a eles situações hipotéticas para conhecer todas as possibilidades de uso dos equipamentos com o objetivo de aperfeiçoar nossas operações e pensar em novas áreas de atuação”.

Essa troca de experiência culminou com o convite, feito a pouquíssimos participantes, para um tour pela fábrica. De acordo com Mourão, foi possível estar diretamente nas linhas de produção e ver como a Geoprobe planeja cada etapa de montagem, desenvolvimento e atualização tecnológica dos equipamentos, logística de envio dos produtos e atendimento ao cliente quanto à manutenção e suporte técnico pós-venda.

O próximo passo, disseram os dois, é compartilhar o conhecimento adquirido durante a viagem para as equipes técnicas da Geoklock. “Isso significa otimizar o investimento feito na nossa viagem e valorizar a formação do nosso pessoal”, acrescenta Moraes. O que foi mais significativo, concluíram os dois técnicos da Geoklock, foi constatar que, sob todos os aspectos, a empresa no Brasil está em termos de equipamentos e expertise das equipes atuando nos mesmos padrões dos americanos, considerados como referência em serviços de sondagens geotécnicas e ambientais.

 

 


<< voltar