Pegada hídrica
Projeto

Pegada hídrica

Primeiro projeto no Brasil a utilizar a metodologia de pegada hídrica para o ciclo completo de uma empresa. O projeto foi desenvolvido para toda a cadeia produtiva, etapas de formulação, uso e descarte. O projeto também gerou e avaliou critérios de estresse hídrico e vulnerabilidade hídrica regional.

A GEOKLOCK é pioneira no setor, tendo participado da rede Water Footprint Network desde 2011, quando elaborou os primeiros estudos já de ciclos de vida completos, contabilizando as pegadas de água verde, azul e cinza.

Neste projeto, realizado em 2015, foram combinadas as competências de desenvolvimento dos seguintes itens:

  • Balanços hídricos das unidades produtivas;
  • Estruturação e coleta de informações da cadeia de suprimentos;
  • Desenvolvimento de modelos para uso e descarte;
  • Abordagem ecotoxicológica.

Um mapa detalhado de estresse hídrico, em nível de microbacias, foi desenvolvido para composição dos cálculos da pegada hídrica, conforme a metodologia de Pfister, Koehler & Hellweg (2009). O cálculo considera a disponibilidade hídrica, consumos, variação de precipitação e regulação por barramentos.

Os cálculos de pegada hídrica seguiram as diretrizes da ISO 14046 e metodologias de cálculos de Ridoutt & Pfister (2012), resultando nos indicadores de consumo (CWU) e poluição (DWU), ambos ponderados por referências globais.

Todas as etapas do ciclo de vida dos produtos foram avaliadas, com suas respectivas pegadas hídricas calculadas, desde:

  • Extração e beneficiamento;
  • Formulação e distribuição;
  • Etapas de uso e descarte;
  • Processos indiretos, como produção de água e geração de energia, também foram considerados.

Os resultados demonstraram oportunidades de melhorias em produtos face à relevância na composição de alguns impactos ambientais, além de trazer uma abordagem completa e realista da cadeia de valor.

A gestão hídrica teve, portanto, uma nova e mais moderna plataforma de gestão, desenhada de forma a permitir o controle e o acompanhamento de forma efetiva, abrangendo as externalidades inerentes à questão hídrica.


<< voltar